Publicado na 7 de março de 2016

No livro “Dicas de Ensino”, os autores Marilla Scinicki e Wilbert McKeachie apresentam técnicas que os estudantes podem adotar para aproveitar ao máximo as discussões em sala de aula e, ao mesmo tempo, usarem mais o pensamento crítico


Como garantir que os alunos pensem mais criativa e estrategicamente por meio de discussões em sala de aula? No livro Dicas de Ensino, os autores Marilla Scinicki e Wilbert McKeachie orientam professores a encorajar os estudantes a construir e usar habilidades que os ajudarão a entender como podem aprender ao máximo com as discussões propostas pelo curso. Abaixo, listamos sete das técnicas apresentadas pelos autores, que ajudam a estimular o pensamento crítico.

1) Saiba como e por que a discussão ajuda os alunos a aprender

O processo de compartilhar os pensamentos e ideias, ouvir os outros e formular respostas dá corpo à habilidade de usar e reter a informação que aprenderam na aula expositiva, com as leituras e outras fontes.

2) Estar disposto a discutir e a escutarQuando estudantes falam sobre suas ideias e respondem respeitosamente os colegas, eles podem revisar seu próprio entendimento dos conceitos. Para construir ainda mais a habilidade do aluno de escutar, você pode pedir que ele parafraseie os pontos apontados por algum colega antes de responder com opiniões próprias.

3) Planejar um estudo mais aprofundado

Ao anotar pontos-chave debatidos durante a discussão, os alunos podem continuar o processo de aprendizagem que começa na sala de aula mais prontamente. Os autores encorajam professores a disponibilizar um tempo no final da aula para que os alunos anotem suas próprias reflexões sobre a discussão. Outra dica é o professor fornecer um sumário da discussão ou mesmo pedir que os alunos resumam suas observações e conclusões e as compartilhem com o resto da turma.

4) Enxergar debates como colaborativos e cooperativos, não competitivos

Aproximar a discussão da perspectiva de que o pensamento de um pode ajudar a desenvolver as ideias do outro cria um cenário em que todos os alunos escutam, aprendem e se sentem mais confiantes para expressar seus pensamentos.

5) Avaliar pensamentos individuais – assim como a discussão como um todo

Se estudantes souberem avaliar os méritos do debate, estarão mais bem preparados para participar de uma forma mais produtiva. Para fortalecer a habilidade do aluno de identificar características de uma boa discussão, os autores do livro sugerem que o professor utilize o final da aula para falar quais aspectos do debate foram mais e menos eficazes. Uma sugestão dos autores para manter a discussão focada sempre em tópicos relevantes para a aula é fazer pausas com frequência.

6) Responder com sensibilidade e respeito

Alunos que têm comportamento desrespeitoso e repudiam as ideias dos outros criam um ambiente em que os colegas se sentem desencorajados, frustrados e menos propensos a participar no futuro. Por outro lado, se cada aluno ouvir e valorizar a opinião do outro, a classe inteira pode se sentir inspirada, iluminada e melhorada pela discussão. A sugestão dos autores para construir estas habilidades nos alunos: treiná-los em como liderar debates e permitir que eles facilitem uma sessão. Ao prestar atenção na discussão como um líder, eles podem aprender a dosar sua sensibilidade aos participantes.

7) Anotar o essencial durante a discussão

Durante um debate, é mais difícil anotar o que é dito de forma linear, como os alunos costumam fazer durante a aula expositiva. Sugira aos alunos que façam um “mapa de conceitos”: anotem ideias, depois desenhem setas que ilustrem conexões entre as várias ideias. Os autores do livro também sugerem que o professor indique um ou dois alunos que vão atuar como “registradores”, que tomam notas da discussão e as distribuem para toda a sala no final da aula. Quer saber mais? Leia o livro Dicas de Ensino (2013), traduzido da 13ª edição norte-americana e publicado pela Cengage Learning. A obra, que também está disponível em e-book, tem 432 páginas e pode ser encontrada nas melhores livrarias da região.