Publicado na 11 de julho de 2014

imagen_texto_el rol del profesor

 

Tem havido uma substancial mudança entre os séculos XX e XXI no nível econômico, social e tecnológico. Naturalmente a educação de hoje não pode ser a mesma de 50 anos atrás. A pergunta é: como é a educação do século XXI? Resposta: ousada, diferente e vanguardista.

A primeira mudança a considerar que afeta a educação é o fenômeno da globalização, que se reconhece como a abertura e interdependência dos mercados globais. A globalização não apenas nos envolve economicamente com o resto do mundo como também no nível cultural e do trabalho. Só na China a quantidade de estudantes de inglês equivalem a quase a população inteira da Europa (Cárdenas, 2002). Todos nós estamos conectados e, portanto, a competência não será apenas em âmbito nacional.

A segunda mudança é o avanço no nível tecnológico e digital. Os estudantes de hoje veem o mundo por meio de um dispositivo eletrônico: computador, tablet, smartphone, videogames. Sua maneira de consumir e processar informação é muito diferente. Além disso, a Internet substituiu a biblioteca como principal recurso de informação.

A última mudança é a constante criação de empregos que ainda não conhecemos: a tecnologia está constantemente mudando, portanto as tendências também mudam e por isso a oferta e demanda de empregos não é a mesma há cinco anos. Os estudantes de hoje trabalham em empregos que ainda não foram criados. Portanto, como preparar alguém para um trabalho que ainda não existe?

Um caminho pode ser mudar por completo nosso atual esquema de educação. Este artigo não fala somente da função docente mas da função das escolas no século XXI. Mais do que nunca o professor deve ensinar a pensar e não no que pensar. São necessárias aulas onde o centro da atenção e o provedor de informação sejam os alunos, sendo o professor apenas um guia de informação e um mentor que motiva o aluno. O estudante deve entrar numa sociedade de permanente conhecimento onde ele mesmo encontre as respostas por meio da pesquisa.

Ele é, de certa maneira, agente de seu próprio conhecimento e isso não se limita ao tempo que passa na escola. Ele só processará e converterá essa informação em conhecimento. Considerando que o aluno sai para competir dentro de um esquema global, a qualidade de seu trabalho deve ser maior. E o professor do século XXI deve exigir melhores resultados e melhor qualidade em qualquer tarefa ou trabalho em equipe, sem importar quão pequeno seja. É importante, também, promover o estudo no exterior para adquirir abertura e conhecimento sobre outras culturas.

Em suma, o professor do século XXI deverá ser um guia (não um fornecedor) da informação, que motive seus alunos a estarem permanentemente em aprendizagem. O professor deverá promover a abertura e o respeito para outras culturas. Na educação do século XXI, o acesso à Internet é indispensável, já que será a ferramenta principal do aluno para estar constantemente aprendendo. Finalmente, o conhecimento se baseará na análise e em aplicar a aprendizagem no dia a dia.