Publicado na 4 de agosto de 2011

O diagnóstico de uma doença traz consigo a mudança da condição de sadio para a condição de doente. Em tal situação, o paciente passa a lidar com o risco eminente de adoecer, sofrer e morrer. Isso faz com que ele viva constantemente ameaçado por essa situação, que representa um ataque não somente ao seu corpo, mas também ao seu psiquismo. Na medicina, o objetivo da dor é informar ao médico acerca da localização e da natureza do problema orgânico, a fim de lhe dar condições de tomar as medidas corretivas necessárias. Na psicologia, é por meio da palavra e da expressão que se tem acesso à dor do paciente. A 2ª edição de Psicossomática e a Psicologia da Dor pretende auxiliar os profissionais de saúde a compreender um pouco mais os problemas que podem ser apresentados pelos pacientes que sofrem de dor crônica e suas sequelas emocionais. Com sete novos artigos, o livro aborda temas coerentes com a realidade da dor, como as dores da mulher, a dor da perda da saúde e o ato de cuidar de um filho com câncer. O organizador é Valdemar Augusto Angerami – Camon (Org.).

Veja o livro em nosso site.