Promovendo a colaboração do aluno — na sala de aula e no ambiente de trabalho

Artigo escrito por Ashley Hall, Ph.D., professora assistente na Faculdade de Negócios da Universidade Estadual Stephen F. Austin

 

Já pensou no que é necessário para que os projetos sejam bem-sucedidos no local de trabalho? Em geral, existem regras não escritas no que diz respeito à realização do trabalho. É raro alguém gerar e implementar uma ideia com sucesso ou gerenciar um projeto sem envolver outras pessoas no processo. Então, como os alunos aprendem a transitar nesse ambiente? Onde eles aprendem essas regras não escritas no local de trabalho? Quando se trata de ensinar as habilidades necessárias para obter sucesso no trabalho, a colaboração dos alunos deve estar no topo da lista.

 

Trabalho em grupo estimula a colaboração dos alunos

Acabou de sentir um gosto ruim na boca? Os alunos não são os únicos que temem enfrentar problemas na divisão de tarefas e nas posições do grupo, nas preferências de tecnologia e nas lutas pelo poder.

Embora alguns alunos prefiram trabalhar sozinhos, aprender a colaborar de forma eficaz é crucial para o sucesso no local de trabalho. A colaboração do aluno, seja presencial ou virtual, é aprimorada pela sinergia. Essa é a ideia de que a soma das partes é maior do que as partes individuais isoladamente. Em vez de permitir que os alunos acreditem que resolverão problemas e tomarão decisões unilateralmente, é importante enfatizar a necessidade de trabalho em equipe na instituição de ensino e local de trabalho.

Quando os professores desenvolvem tarefas ou projetos que exigem colaboração contínua e verdadeira, os alunos enfrentam o desafio de trabalhar juntos. Por meio dessas experiências, os alunos podem aprender a importância de incluir outras pessoas e do papel do feedback no processo de colaboração.

 

Ensinando os alunos a atrair outros integrantes

É essencial manter as partes interessadas informadas sobre o status de um projeto. Ao manter os outros informados, os funcionários podem fazer um bom progresso e ficar cientes dos problemas no início do processo. Isso é especialmente útil ao lidar com a resistência das partes interessadas além da área de atuação do funcionário. A abordagem de “incluir outras pessoas” pode diferir entre um ambiente de escritório físico e um ambiente de trabalho virtual. No entanto, os princípios permanecem os mesmos. Por exemplo, as atualizações de status virtuais podem envolver o agendamento de uma chamada do Zoom dedicada ou a entrada de atualizações, como um item da agenda em uma reunião semanal de equipe. Pessoalmente, as atualizações de status podem ocorrer de forma mais natural, pois os funcionários podem ir até o escritório de um colega ou a uma sala de reuniões.

Como educadores, podemos ajudar a preparar os alunos para o sucesso na carreira, criando pontos de verificação de comunicação necessários nas tarefas para ajudar os alunos a usar essas habilidades. Por exemplo, você pode definir a expectativa de que os alunos se comuniquem em seu canal de comunicação oficial (por exemplo, Slack, Microsoft Teams, fórum de discussão etc.) certo número de vezes por semana e considerar isso na nota da tarefa.

A colaboração do aluno requer feedback

As discussões em classe sobre o preparo para o local de trabalho e as habilidades que os empregadores buscam em novas contratações podem ajudar os alunos a entender que soluções melhores são frequentemente geradas pedindo feedback de várias pessoas com diversos pontos de vista. Em uma sala de aula presencial ou on-line, isso pode envolver ensinar os alunos a fazer perguntas de qualidade a seus colegas de sala, como:

· Quais são suas ideias?

· Que melhorias você acha que poderiam ser feitas?

· Existe algo que eu possa explicar mais para esclarecimento?

 

Habilidades essenciais: ouvir, receber e fornecer feedback

Ouvir é uma habilidade esquecida pelos alunos de hoje. Em nossa cultura barulhenta com tantos estímulos, é fácil perder o foco ou não ouvir com eficácia. Esse é especialmente o caso durante as reuniões virtuais. Por outro lado, se as pessoas estão apenas ouvindo para responder e pensando sobre o que querem dizer a seguir, também não estão empenhadas em ouvir com qualidade. É essencial que ensinemos os alunos a ser bons ouvintes. Isso inclui focar a mente na conversa em questão, ouvir genuinamente, captar conteúdos não verbais, ou seja, o que o falante não está dizendo, e responder de forma que as pessoas se sintam ouvidas no processo. Fazer com que a voz das pessoas seja ouvida também ajudará a criar a adesão de outras pessoas na organização. Isso pode ser vital para o sucesso de um projeto ou ideia.

Muitos alunos podem resistir à ideia de dar feedback devido às conotações negativas que possuem. Ajudá-los a aprender a dar feedback útil não é fácil. Modelar e recontar histórias pessoais que enfatizem os aspectos positivos do feedback pode ajudar. Envolvendo-se na avaliação dos pares nos resultados do curso, os alunos podem praticar dar e receber feedback construtivo.

 

Desafiando os professores a ensinar colaboração aos alunos

Ao planejar seus cursos, eu o desafio a pensar como incluirá a colaboração dos alunos nas aulas. Em vez de presumir que os alunos aprenderão habilidades de colaboração por meio de um projeto de equipe designado, seja intencional ao destacar as habilidades necessárias para a colaboração efetiva. Para ajudar os alunos a compreender a importância, converse sobre as habilidades regularmente. Reforce-as ao longo do semestre e dê aos alunos oportunidades de praticá-las em sala de aula.

Algumas ideias de como praticar as habilidades incluem pedir aos colegas que avaliem uns aos outros com base no desempenho do trabalho e nas habilidades de colaboração em vários pontos durante o semestre. Você também pode pedir aos alunos que escrevam uma reflexão sobre como eles percebem suas habilidades de colaboração em comparação com as avaliações que receberam de seus colegas ao longo do

projeto. Além disso, traga outras vozes e experiências para a classe por meio de palestrantes convidados ou entrevistas com a indústria, em que profissionais que trabalham discutem suas experiências com a colaboração e como ela pode realizar ou impedir um projeto. Ensine os alunos sobre a importância de pedir a opinião de outras pessoas e se envolver em uma escuta de alta qualidade. Essas habilidades ajudarão a tornar os alunos membros da equipe melhores e serão muito úteis quando ingressarem no mercado de trabalho.

 

Este artigo foi traduzido para o português pela Cengage Brasil. O texto original pode ser lido aqui